Vanusa

1 e 2 de outubro • ter. quar.

Vanusa

“Por motivos diversos, Vanusa foi e continua sendo uma artista especial. Uma artista que marcou um tempo e ficou marcada por ele. Despertou e ainda provoca emoções paralelas, nos acertos e nos tropeços de ontem e de hoje.” (Thiago M. Luiz, produtor musical, encarte do CD ‘Vanusa 30 anos’)

Começou como cantora aos 16 anos, no interior de Minas, onde vivia. Depois de se apresentar em festas e bailes, foi para São Paulo, onde estreou em 1966 no programa “O Bom”, de Eduardo Araújo, na TV Excelsior. O primeiro sucesso de Vanusa na Jovem Guarda foi “Pra Nunca Mais Chorar” (Carlos Imperial/ E. Araújo). Participou de programas humorísticos de TV e de festivais da canção. Em 1973, gravou seu maior sucesso, “Manhãs de Setembro”, sua e de Mário Campana. Também emplacou “Paralelas”, de Belchior, em 77, entre muitos outros sucessos. Gravou mais de 20 discos ao longo de sua carreira, além de ter participado como atriz de espetáculos como o musical “Hair”, em 1973. 

DISCOGRAFIA

Vanusa - Álbum 1 (1968), Vanusa - Álbum 2 (1969), Vanusa - Álbum 3 (1971), Vanusa - Álbum 4 (1973), Vanusa - Álbum 5 (1974), Amigos Novos e Antigos (1975), Trinta Anos (1977), Viva Vanusa (1979), Vanusa - Álbum 6 (1980), Vanusa - Álbum 7 (1981), Primeira Estrela (1982), Vanusa - Álbum 8 (1985), Mudanças (1986), Cheiro de Luz (1988), Viva Paixão (1991), Hino ao Amor (1994), A Arte do Espetáculo (1997), Diferente (2004)