Tetê Espíndola

17 e 18 de setembro • ter. quar.

tete

“Tetê não se parece com ninguém a não ser com ela mesma. Única. O timbre agudo, de registro incomum, a afinação perfeita, e a própria estranheza de suas canções infiltradas de ruídos tropicais e de vozes tupis, dão a experiência de ouvi-la um sabor agridoce, esquisito, antigo e novo”. (Augusto de Campos, poeta)

Dona de imensa extensão vocal e um raro timbre de voz agudíssimo, a cantora, compositora e instrumentista Tetê Espíndola tem em sua trajetória a marca da multiplicidade. Incursões pela vanguarda, o pioneirismo regionalista, fusões do acústico com o eletrônico, experimentalismos com pássaros, enfim, um leque de opções que sua voz absolutamente rara, de timbre ímpar e extensão incomum, lhe proporciona.

DISCOGRAFIA

Tetê e o Lírio Selvagem (1978), Piraretã (1980), Londrina (1981), Pássaros na Garganta (1982), Escrito nas Estrelas (1985), Gaiola (1986), Ouvir/Birds (1991), Só Tetê (1994), Canção do Amor (1996), Anahí (1999), Vozvoixvoice (2001), Fiandeiras do Pantanal (2002), Espíndola Canta (2004), Zencinema (2005), Evaporar (2007), Babeleyes (2008)