Maria Creuza

6 e 7 de agosto • ter. quar.

maria-creuza

“ (...) Uma das maiores cantoras brasileiras, Maria Creuza, admirável artista e admirável pessoa, musa inspiradora do compositor. (...) Ainda há pouco ouvi, num filme francês feito sobre romance baiano, sua voz magnífica interpretando melodias da dupla (Antônio Carlos e Jocafi) e de Walter Queiroz”.(Citação de Jorge Amado no livro Bahia de Todos os Santos).

Uma das cantoras preferidas de Vinicius de Moraes, Maria Creuza lançou discos no Japão e em diversos países da Europa, onde se apresentou com frequência em espetáculos e festivais. No Brasil, participou de festivais em Salvador e no Rio, cantando músicas de Antônio Carlos e Jocafi, ganhando o prêmio de melhor intérprete em 1969. No início da década de 1970 apresentou-se ao lado de Toquinho e Vinicius de Moraes, em turnês pelo Brasil, Uruguai e Argentina. Atualmente, vem realizando regularmente temporadas de shows no Vinicius Bar, no Rio de Janeiro, alternadas com apresentações na Europa.

DISCOGRAFIA

Festa no Terreiro de Alaketu/Abolição (1967), Vinícius de Moraes en La Fusa (1970), Yo... Maria Creuza (1971), Maria Creuza (1972), Eu Sei Que Vou Te Amar. Vinicius de Moraes, Maria Creuza e Toquinho (1972), Eu Disse Adeus (1973), Sessão Nostalgia (1974), Maria Creuza e os Grandes Mestres do Samba (1975), Meia Noite (1977), Doce Veneno (1978), Pecado (1979), Maria Creuza (1980), Sedução (1981), Poético (1982), Paixão Acesa (1985), Pura Magia (1987), Da Cor do Pecado (1989), Com Açúcar e com Afeto (1989), La Mitad del Mundo/A Metade do Mundo (1999), Você e Eu (2003), Maria Creuza ao Vivo (2006), É Melhor Ser Alegre que Ser Triste (2007).